Das Artes do Belo

Publicação do livro "Das Artes do Belo", de Carlos Nougué

  • Descrição
  • Comentários

     O homem é um animal de contemplação, de ação e de produção. Das obras que produz, umas são para uso ou benefício do corpo – são as artes chamadas servis –, enquanto outras são para uso ou benefício de seu espírito – são as artes ditas liberais. Entre estas, há aquelas que, mediante o belo, visam a fazer o homem propender ao bom e ao verdadeiro, e, mediante o horrendo, visam a fazê-lo afastar-se do mau e do falso: são as Artes do Belo, ou seja, a Literatura, o Teatro, o Cinema, a Música, a Dança (= Balé), a Pintura, a Escultura e, por certo ângulo, a Arquitetura.

     É inegável a importância das Artes do Belo para a constituição de uma sã personalidade e para a formação da civilização. Vemos o Gênesis referir a invenção da arte da cítara e da flauta. Vemos as epopeias homéricas contribuir para a educação ético-política de gerações na Grécia antiga. Vemos a arte de Virgílio servir de alicerce para o Império Romano. Vemos os templos cristãos ser como “museus” de todas as artes em ordem à salvação das almas. Mas também vemos Platão, Aristóteles, Agostinho, Boécio, Tomás de Aquino estudá-las filosoficamente, com o que fundam uma ciência que se pode chamar poética e que se subordina à Lógica, à Política, à Teologia Sagrada.

     Mas a perversão das Artes do Belo tampouco deixa de estar presente ao longo da história, e vemo-la particularmente presente nos momentos de decadência civilizacional ou de revolução. Pode dar-se ou mediante o uso das melhores técnicas artísticas para um fim indevido – fazer propender ao mau e ao falso – ou mediante a feiura pura e simples. Ambas as coisas já se vêm dando, no Ocidente, desde há alguns séculos, mas a partir do início do século XX as Artes do Belo foram como que ocupadas por um feio que se quer vender como belo. É o que o historiador italiano da filosofia Giovanni Reale chama tão propriamente “a diluição das formas”: a cacofonia sonora quer passar-se por música; angulosas contorções corpóreas, por dança; rabiscos ou olhos postos nos pés, por pintura; o esdrúxulo arquitetônico, por templos; e assim sucessivamente.

     Insista-se, porém: assim como as Artes do Belo são fundamentais para a formação da personalidade e da civilização, assim também suas perversões são a base para sua destruição. Acrescente-se que tais perversões não raro, especialmente a partir do século XX, se acompanham de doutrinas que as querem justificar, e ter-se-á uma das razões do atual estado de coisas no mundo. Para agravar o quadro, ademais, temos que até filósofos tomistas acabam por contribuir para essa situação dramática ao aderir à doutrina segundo a qual as Artes do Belo não têm por fim último senão fazer obras belas. Mas também a joalheria ou a costura podem produzir obras belas, e nem por isso se dizem Artes do Belo, além de que negar que o fim último destas artes seja fazer propender ao bom e ao verdadeiro é negar o dito pelos maiores filósofos de todos os tempos e pelos mesmos maiores artistas de todos os tempos.

     As Artes do Belo ou são produtoras de formas mimético-significantes e belas cujo fim último é o dito acima, ou simplesmente não o são: porque, se o são, são virtudes, e, se não o são, são vícios, e nenhum vício pode constituir propriamente arte alguma.

     O livro Das Artes do Belo é um livro de ciência poética que retoma, aprofundando-a grandemente, a doutrina de Aristóteles e de Tomás de Aquino, sem deixar de levar em conta, porém, a de Platão, a de Agostinho, a de Boécio, e ainda a de filósofos modernos, como a neokantiana Susanne Langer. Nele, mostra-se o que são as Artes do Belo, suas propriedades, seus fins; o que é o belo e se é objetivo; por que e em que se distinguem as diversas formas ou espécies destas artes; e ainda que é possível aprender a apreciá-las quando efetivamente o são, e a evitá-las quando por qualquer motivo não o são.

     Das Artes do Belo é mais um marco do projeto de Carlos Nougué de tratar em livro todo o implicado no antigo Trivium – aperfeiçoando-o e atualizando-o como devido – que não tenha sido tratado assim por Tomás de Aquino. O primeiro foi a Suma Gramatical da Língua Portuguesa; o segundo é este, Das Artes do Belo; os seguintes serão a Suma Retórica, a Suma Dialética, O Tratado dos Universais e Da Figura do Silogismo.

     Pouco antes da publicação de Das Artes do Belo, lançar-se-á As Artes do Belo, documentário de Viviane Princival e Jean Wichinoski, com argumento e participação de Carlos Nougué.  O filme, baseado no livro Das Artes do Belo, ficará disponível gratuitamente para todos, na Internet.

Teasers do documentário As Artes do Belo:


O autor

     I) CARLOS NOUGUÉ, filósofo e professor tomista, nasceu no Rio de Janeiro e tem hoje 65 anos.
     II) Tem três livros já publicados:
Suma Gramatical da Língua Portuguesa (São Paulo, É Realizações, 3.ª ed., 2017, 608 pp.);
Estudos Tomistas (Formosa, Edições Santo Tomás, 2016, 192 pp.);
Do Papa Herético e outros opúsculos (Formosa, Edições Santo Tomás, 2017, 406 pp.).
     III) Tem vários livros por publicar:
Das Artes do Belo (Edições Santo Tomás, por publicar em 2018);
Suma Retórica (Instituto Hugo de São Vítor, por publicar no início de 2019);
Da Necessidade da Física Geral Aristotélico-tomista, estudo introdutório de cerca de 120 pp. à sua tradução do Comentário de S. Tomás à Física de Aristóteles (É Realizações, por publicar no início de 2019);
O Tratado dos Universais – Do Verbo Cordial ao Verbo Vocal (Edições Santo Tomás, por publicar em meados de 2019);
Suma Dialética (Instituto Hugo de São Vítor, por publicar no início de 2020);
Da Figura do Silogismo (Edições Santo Tomás, por publicar em meados de 2020);
A História e Sua Ordem a Deus (Editora Centro Dom Bosco, ainda sem data).
     IV) Foi professor de Tradução Literária e de Língua Portuguesa numa pós-graduação durante dez anos.
     V) Hoje ensina a doutrina aristotélico-tomista na ESCOLA TOMISTA, uma universidade online de cinco anos de duração.
     VI) Ministra ainda cinco cursos online pagos e um gratuito:
• Para Bem Escrever na Língua Portuguesa (64 horas, 32 aulas, com apostilas, exercícios e respostas a perguntas);
• Por uma Filosofia Tomista (60 horas, 30 aulas, com respostas a perguntas);
• A Existência de Deus e a Criação do Mundo segundo S. Tomás de Aquino (24 horas, 12 aulas, com respostas a perguntas);
• O Melhor Regime Político segundo S. Tomás de Aquino (24 horas, 12 aulas, com respostas a perguntas);
• História da Música Erudita Ocidental (24 horas, 12 aulas, com respostas a perguntas, ainda em gravação das últimas aulas);
• A Ordem das Disciplinas segundo S. Tomás de Aquino (12 aulas, gratuito).
     VII) Traduziu várias obras de Cícero, de Sêneca, de Santo Agostinho, de São Bernardo de Claraval, de Santo Tomás de Aquino, de Miguel de Cervantes, de Gilbert Keith Chesterton e de muitos outros.
     VIII) Atuou por duas décadas como lexicógrafo.

O orçamento

O valor total do projeto será utilizado para os seguintes fins:

– Revisão
– Edição
– Diagramação
– Capa
– Produção gráfica e eletrônica
– Empacotamento
– Envio pelos Correios

AVISO 1: Todos os livros serão enviados autografados pelo autor.

AVISO 2: Após o encerramento da campanha e a entrega aos colaboradores (prevista para julho de 2018), novos exemplares serão colocados à venda, mas com preços acima dos praticados na campanha e com frete por conta do comprador.

9 thoughts on “Das Artes do Belo

  1. Lucas Henrique

    Em tempos de tamanha desgraça artística, como o visto no Queermuseu, faço votos para que este livro seja uma luz nas trevas em que nos metemos por negligência.

    Reply
  2. Marcelo Udo

    Prezados,

    A modalidade de R$ 220, pela descrição, temos direito:
    – ao livro pelo Correio e
    – o nome na lista da campanha do filme

    Mas eu também gostaria do DVD, teria de escolher duas modalidades?

    Cordialmente,

    Udo

    Reply
  3. Boa tarde,
    se eu comprar o livro mais a História da Música, terei acesso ao curso logo após a confirmação do pagamento ou só quando o livro for enviado?

    Grato.

    Reply
    1. admin Post author

      Boa tarde, William. A princípio entregaremos após a campanha por questões de logística. Mas se quiser ter logo o acesso é só nos escrever logo após o pagamento que enviamos os dados para seu e-mail, sem problemas. Escreva-nos para edicoes@santotomas.com.br

      Reply
  4. mateus1231901

    Uma dúvida: o produto será enviado somente após a finalização da campanha, ou será enviado no decorrer da mesma?

    Reply
  5. ie.imoveis

    Caros, fiz a compra do livro no dia 07/03, recebi a mensagem aqui como pagamento efetivado. Gostaria da confirmação do pedido, ficou registrado ai?

    Abraços,

    Reply

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *